http://www.google.com.br/latitude/apps/badge/api?user=6522443547137033066&type=iframe&maptype=hybrid&hl=pt-BR

O Brasil está entre os países que mais utilizam as redes sociais, como Facebook e Twitter, como ferramentas de negócios, aponta uma pesquisa realizada pela fabricante de softwares McAfee em 17 países.

De acordo com o levantamento, o uso dessas tecnologias, conhecidas genericamente como Web 2.0, são mais recorrentes em empresas brasileiras, indianas e espanholas. Enquanto a média de utilização desses softwares atinge 75% das companhias pesquisadas nos 17 países, no Brasil, na Índia e na Espanha o índice supera 90%.

A McAfee aponta que, na média, três em cada quatro empresas que utilizam essas ferramentas afirmaram conseguir ganhar dinheiro com esses aplicativos. No Brasil, o lucro com as redes sociais é uma realidade para nove em cada dez companhias que as utilizam. Esse mesmo percentual é alcançado em países como Índia, Emirados Árabes Unidos e México.

De acordo com a analista de tecnologia Charlene Li, citada no relatório da McAfee, o uso empresarial das ferramentas Web 2.0 reflete a penetração das redes sociais nos países. É o caso do Brasil e da Coreia do Sul, por exemplo, onde uma grande parcela dos internautas participam de redes sociais.

Mas, essas tecnologias também podem trazer problemas. O estudo aponta que cada empresa brasileira perde, em média, R$ 4,3 milhões devido a problemas de segurança relativos à internet.

por band.com.br

Entendeu? Então veja uma versão em PDF que permite aplicar zoom para aproximar os detalhes. Esse é um mapa de informações sobre os dados que acompanham uma mensagem no Twitter. Essa “autópsia” revela os campos responsáveis por informar a data de criação da conta em questão, o número de seguidores do usuário, além de sua localização e outros detalhes.

A imagem foi publicada por Raffi Krikorian, da equipe do Twitter, em seu blog. Mas a melhor parte é que essa avalanche de código é apenas o começo.

Segundo Sarah Perez, do Read Write Web, as novas funções anunciadas para o Twitter na semana passada podem transformar esse mapa em algo muito mais complexo no futuro. “Com anotações, o Twitter pode se transformar em uma plataforma para você compartilhar tudo, não apenas 140 caracteres de texto”, afirma ela.

As “anotaçõoes” às quais Sarah se refere significam a possibilidade de os desenvolvedores aplicarem mais dados a um “tweet”. Na prática, é o surgimento de novas funções, como, por exemplo, aplicar tags a uma mensagem ou até mesmo criar enquetes.

Tudo, é claro, vai depender das ideias dos desenvolvedores – e de um pouco de tempo para testar as novidades.

Fonte:

http://uoltecnologia.blog.uol.com.br/linhadecodigo/

Através de um acordo de cooperação técnica firmado em 31 de agosto de 2009 entre o Ministério da Ciência e Tecnologia, a Receita Federal e os Estados da União através de suas Secretarias de Fazenda, foi formalizado o início do Sistema de Identificação, Rastreamento e Autenticação de Mercadorias, nominado como “Brasil-ID”, que se baseia no emprego da tecnologia de Identificação por Radiofreqüência (RFID), e outras acessórias integradas para realizar, dentro de um padrão único, a Identificação, Rastreamento e Autenticação de mercadorias em produção e circulação pelo país. O projeto é coordenado pelo Centro de Pesquisas Avançadas Wernher von Braun em conjunto com o ENCAT.

Objetivo do Projeto

Desenvolver e implantar uma infra-estrutura tecnológica de hardware e software que garanta a identificação, rastreamento e autenticação de mercadorias produzidas e em circulação pelo Brasil, com a utilização de chips RFID, visando padronizar, unificar, interagir, integrar, simplificar, desburocratizar e acelerar o processo de produção, logística e de fiscalização de mercadorias pelo país.

Objetivos Específicos do Projeto

  • Racionalizar e agilizar, no âmbito do governo, os procedimentos de auditoria e fiscalização de tributos, mercadorias e prestação de serviços;
  • Propiciar, no âmbito das empresas, redução significativa de custos e melhoria nos processos de produção, armazenagem, distribuição e logística;
  • Propiciar, no âmbito do governo, maior controle da industrialização, comercialização, circulação de mercadorias e prestações de serviços, no intuito de reduzir significativamente a sonegação fiscal, o contrabando, o descaminho, a falsificação e furto de mercadorias no país, favorecendo, portanto, a um ambiente de concorrência leal;
  • Criar um sistema nacional de gestão do Brasil-ID (Back-Office) que interaja e integre aos sistemas do governo e empresas que poderão demandar ou prover recursos ao mesmo;
  • Especificar, analisar, projetar, dimensionar e desenvolver softwares básicos de gestão nacional e centralizada de dados e transações do Brasil-ID a ser gerenciado pelo governo através de uma entidade designada para tal;
  • Desenvolver soluções de integração de sistemas (middleware), que possibilitará a integração, de forma automática, dos diversos sistemas de informação que irão interagir com os sistemas do Brasil-ID, como, por exemplo, a interface de comunicação com os sistemas da Nota Fiscal Eletrônica. Além disto, o middleware também suportará comunicação padronizada para integração de todos os Leitores de RFID e Sistemas de Comunicação associados que estarão distribuídos pelo território nacional;
  • Especificar, projetar e implantar infra-estrutura tecnológica para as Secretarias de Fazenda e Receita Federal para integração com o Brasil-ID;
  • Especificar, projetar e desenvolver softwares especializados para a integração, gestão e geração de dados e controles inteligentes que garantam uma célere e eficaz fiscalização nos postos fiscais, comandos volantes e auditorias nas empresas a partir das interações ocorridas entre os sistemas estruturantes dos Estados e o Brasil-ID;
  • Regulamentar para todo território nacional o uso da tecnologia RFID, visando atender as demandas do segmento de governo e empresarial;
  • Desenvolver sistemas de informação com interface web com diferentes níveis de permissão, para garantir acessos restritos a diferentes tipos de informações;
  • Adquirir, desenvolver e implementar toda a infra-estrutura tecnológica, para completa operacionalização do Brasil-ID, incluindo servidores, leitores de tags RFID, sensores, e atuadores para os postos fiscais, dentre outros.

Fonte

http://www.brasil-id.org.br/sobre.asp

A lei anti-downloads francesa começa a entrar em funcionamento, com o governo daquele país iniciando a “caça” aos internautas que realizam downloads ilegais. Segundo o jornal espanhol El País, os provedores (ISP’s) locais já receberam a primeira lista de endereços IPs e agora eles têm a missão de identificar os titulares, suspeitos de baixar músicas e filmes ilegalmente.

Os  ISP’s agora terão oito dias para identificar seus titulares e retornar as informações para as autoridades governamentais. Estas, por sua vez, de posse dos dados, enviarão uma primeira advertência por escrito aos internautas identificados, avisando que downloads ilegais foram detectados em seu computador e exigindo que ele interrompa a prática. Caso mais downloads sejam detectados, o titular receberá uma segunda notificação. Na terceira, ele será multado e sua conexão, cortada.

A primeira lista de IPs contém centenas de direções. Os provedores de acesso são obrigados a fornecer a identidade e o endereço do titular. A empresa que não o fizer será multada em 1500 euros para cada IP não identificado.

As sociedades de gestão, um dos setores responsáveis pela execução da lei, podem enviar às autoridades francesas até 150 mil IPs por dia. A partir daí, há uma seleção de endereços IPs, que são enviados aos provedores de acesso. Por enquanto, estima-se que 10 mil IPs foram filtrados apenas no caso de downloads musicais.

Um dos problemas enfrentados pelos provedores está nos custos adicionais gerados pelo rastreamento e identificação destes IPs, uma despesa que as empresas do setor não querem arcar.

Outra polêmica que envolve a lei anti-downloads francesa é que ela prevê punições tanto ao autor do download ilegal quanto aquele que é o titular da conexão, que não teria tomado as devidas precauções para impedir a prática por parte de terceiros

fonte uol.com.br

http://acs.pandasoftware.com/marketing/promo/PINTpromo.exe

Sabadão é sempre uma alegria. Mas nem por isso você vai ficar mandando recados no Orkut com “Eu voltei, tenha um bom sábado” para todos seus amigos no Orkut, certo? O que está acontecendo hoje (dia 25 de setembro) e assustando todos os usuários da rede social é um novo vírus no Orkut.

Para ser infectado, basta acessar o Orkut neste fim de semana. Sim, apenas pelo fato de ter visualizado o script, que é a bandeira do Brasil, você já caiu na falha de segurança. É uma infecção em cadeia. Entenda: visualizou, pegou! Não significa que você tenha clicado em algum link com vírus, nem nada, pois é uma falha executada só ao acessar a página.

O que acontece?

Uma bandeira do Brasil é adicionada ao seu perfil e você começa a enviar recados para todos os contatos, desta maneira:

Além disso, seu perfil fica travado, ou seja, você não conseguirá abrir nenhum link! Se clicar em “Perfil”, nada acontece. Se tentar abrir a página de recados, ficará como se apenas a Home do Orkut estivesse aberta.

Tudo acontece porque um cookie foi gravado no seu computador. Aparentemente, este cookie não rouba informações, apenas faz com que o Orkut entenda que você não é um spammer, segundo o autor da façanha, e começa a disparar os recados.

Os passos da infecção

  1. Acessar o Orkut
  2. Visualizar a bandeira do Brasil – pegou o worm
  3. Seu Orkut fica travado e recebe a mensagem “Pegadinha do malandro”

  1. Dispara uma mensagem para todos seus contatos com um buraco de segurança
  2. Entra automaticamente em 5 comunidades e redireciona para o Twitter @Jowkss

Como resolver

Simplesmente, limpe os cookies do seu computador. Com isso, automaticamente você já sairá da comunidade “Infectados pelo Vírus do Orkut”. A seguir, confira os passos sobre como limpar cookies nos principais navegadores:

Mozilla Firefox

No Mozilla Firefox, pressione as teclas Control + Shift + Delete e marque apenas as opções Cookies eCache. Sendo assim, basta clicar em Limpar agora para efetuar a limpeza dos cookies.

Internet Explorer 9

Já no IE 8 e 9 o procedimento é o mesmo, pressionar as teclas Control + Shift + Delete e deixar marcado as opções Preservar dados de sites FavoritosArquivos de Internet TemporáriosCookies. Por fi, clique em Excluir.

Google Chrome

Assim como os demais navegadores, basta pressionar as teclas Control + Shift + Delete e deixar selecionadas as opções Esvaziar o cacheExcluir cookies e outros dados do site. Aperte em Limpar dados de navegação para efetuar a limpeza.

Uma outra saída para se livrar do problema é instalar o limpador de arquivos CCleaner e executar os procedimentos para limpeza que são descritos no Guia de Uso do programa aqui no Baixaki!

…..

De acordo com o autor da “brincadeira”, quem foi infectado não vai perder o Orkut e nem terá alguma informação roubada do computador. Contudo, é melhor se prevenir neste fim de semana: não acessem o perfil do Orkut de vocês até que a falha seja corrigida. O Baixaki também vai aguardar as providências do Google e manter todos vocês atualizados.

postado por baixaki.